Custo de construção civil sobe 0,40% em novembro

0
426
No grupo Materiais, Equipamentos e Serviços, o custo de construção civil subiu 0,88% em novembro
No grupo Materiais, Equipamentos e Serviços, o custo de construção civil subiu 0,88% em novembro
Em outubro, o custo de construção civil foi de 0,27%, segundo a FGV

O custo de construção civil medido pelo INCC-M (Índice Nacional de Custo da Construção – M)  subiu0,40% em novembro, de acordo com levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O índice ficou acima do resultado do mês anterior, de 0,27%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviçosregistrou variação de 0,86%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,57%. O índice referente à Mão de Obra não registrou variação pelo terceiro mês consecutivo.

O INCC-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

No grupo Materiais, Equipamentos e Serviços, o índice correspondente a Materiais e Equipamentos registrou variação de 0,88%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,62%. Três dos quatro subgrupos componentes apresentaram acréscimo em suas taxas de variação, destacando-se materiais para estrutura, cuja taxa passou de 0,01% para 0,64%.

A parcela relativa a Serviços passou de uma taxa de 0,37%, em outubro, para 0,77%, em novembro. Neste grupo, vale destacar a aceleração do subgrupo projetos, cuja variação passou de 0,43% para 1,81%.

O índice referente à Mão de Obra não registrou variação pelo terceiro mês consecutivo. 

Cinco capitais apresentaram aceleração em suas taxas de variação no custo de construção civil: Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Em contrapartida, Brasília e Recife registraram desaceleração. 

Confiança sobe

O Índice de Confiança da Construção (ICST) da Fundação Getulio Vargas avançou 1,6 ponto entre outubro e novembro, ao passar de 68,0 para 69,6 pontos. O resultado sucede quatro recuos seguidos, que haviam levado o índice ao nível mínimo histórico no mês anterior. “Vários indicadores da Sondagem apresentaram alguma melhora em novembro.  No entanto, a confiança setorial continua em patamar muito baixo – bastante inferior ao alcançado 12 meses atrás, e não há elementos que permitam vislumbrar uma mudança mais significativa do cenário de retração dos investimentos, possibilitando uma recuperação consistente da atividade,” observou Ana Maria Castelo, Coordenadora de Projetos da Construção da FGV/IBRE.

A melhora o ICST deveu-se ao movimento ascendente dos dois índices que o compõem: o Índice de Expectativas (IE-CST) apresentou crescimento de 2,1 pontos, em novembro, alcançando 72,9 pontos (contra 70,8 pontos, em outubro). O Índice da Situação Atual (ISA-CST) atingiu 66,9 pontos, em novembro, uma alta de 1,1 ponto, em relação ao mês anterior (65,8 pontos). Em nenhum dos casos, no entanto, houve mudança da tendência dos indicadores quando medidos em médias móveis trimestrais.