Custo de construção civil em Belo Horizonte sobe 0,31%

0
86
O CUB/m² (projeto-padrão R8N) nos primeiros oito meses do ano registrou alta de 3,40% no custo de construção civil. Foto: Divulgação/Sinduscon-MG
O CUB/m² (projeto-padrão R8N) nos primeiros oito meses do ano registrou alta de 3,40% no custo de construção civil. Foto: Divulgação/Sinduscon-MG
Na capital mineira ficou o custo de construção civil ficou mais caro em  agosto, mostra Sinduscon-MG

O custo de construção civil em Belo Horizonte, medido pelo Custo Unitário Básico de Construção (CUB/m² – projeto-padrão R8-N) aumentou 0,31% em agosto em relação ao mês anterior. Novamente em agosto a elevação do CUB/m² aconteceu em função do incremento no custo com material de construção, que aumentou 0,76%. Os demais componentes do referido indicador de custos setorial (mão de obra, despesas administrativas e aluguel de equipamentos) ficaram estáveis.

O custo de construção civil, por metro quadrado em Belo Horizonte, para o projeto-padrão R8-N (residência multifamiliar, padrão normal, com garagem, pilotis, oito pavimentos-tipo e três quartos) que em julho/18 era R$1.371,58 passou para R$1.375,77 em agosto. O CUB/m² é um importante indicador de custos do setor e acompanha a evolução do preço de material de construção, mão de obra, despesa administrativa e aluguel de equipamento. É calculado e divulgado mensalmente pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG) conforme a Lei Federal 4.591/64 e de acordo com a Norma Técnica NBR 12721:2006 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Na composição do CUB/m² (projeto-padrão R8-N) a mão de obra representou, em agosto, 55,58%, os materiais de construção responderam por 40,17% e as despesas administrativas/aluguel de equipamentos foram responsáveis por 4,25%.

Materiais de construção tem alta

A alta nos preços de materiais de construção vem se destacando nos últimos meses. Em agosto os maiores aumentos foram observados nos seguintes itens: porta interna semi-oca para pintura (+4,05%), tinta látex PVA (+3,57%), brita (+3,05%), aço CA 50 10 mm (+2,96%), emulsão asfáltica impermeabilizante (+2,71%) e disjuntor tripolar 70A (+2,25%).

Segundo o economista e coordenador do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), Daniel Furletti, os resultados do CUB/m² evidenciam um movimento maior de aumento de preços nos materiais de construção nos últimos quatro meses.

“De maio a agosto desse ano, o CUB material já subiu 3,17%. Este processo é prejudicial à recuperação das atividades da construção, que nos últimos quatro anos vivenciaram uma forte recessão. E em 2018 o cenário ainda é de dificuldades! Dados do PIB do 2º trimestre, divulgados pelo IBGE, revelam que no primeiro semestre de 2018, comparado a igual período de 2017, o PIB do setor registrou queda de 1,7% , evidenciando as suas dificuldades. Neste mesmo período, o PIB total do Brasil cresceu 1,1%. Portanto, a permanecer neste patamar, a Construção Civil poderá registrar, em 2018, o quinto ano de resultados negativos. A recuperação ainda lenta da economia, as incertezas provocadas pelo processo eleitoral, a instabilidade nos mercados emergentes e o cenário internacional prejudicam os novos investimentos, adiando a recuperação do setor”, destaca o coordenador.

Acumulado no período de janeiro a agosto/18 

 O CUB/m² (projeto-padrão R8N) nos primeiros oito meses do ano registrou alta de 3,40% no custo de construção civil. Já o custo com material aumentou, neste período, 4,43% e o custo com a mão de obra 2,53%. O custo com a despesa administrativa cresceu 5,00% enquanto o custo com aluguel de equipamentos aumentou 6,71%. Neste período, os materiais que registraram as maiores elevações de preços foram: emulsão asfáltica impermeabilizante (+21,59%), porta interna semi-oca para pintura (+21,57%), esquadria de correr (+19,94%), fio de cobre (+18,00%), cimento CP 32 II (+12,79%), aço CA 50 10 mm (9,68%) e bacia sanitária branca com caixa acoplada (+7,45%) .

Acumulado nos últimos 12 meses (Setembro/17 – Agosto/18)

 Nos últimos 12 meses o CUB/m² (projeto-padrão R8-N) registrou alta de 3,95%, o que foi reflexo das seguintes variações: 5,82% no custo com material de construção, 2,53% no custo com a mão de obra, 5,00% nas despesas administrativas e 14,39% no aluguel de equipamentos. Os materiais que apresentaram maiores elevações em seus preços neste período: porta interna semi-oca para pintura (+33,33%), fio de cobre antichama (+22,92%), emulsão asfáltica impermeabilizante (+22,62%), esquadria de correr (+19,59%) e cimento CP-32 II (+18,72%).

Evolução do CUB Global/ Material/ Mão de Obra – Projeto-padrão R8-N
Mês/Ano % CUB Global % Custo Material % Custo Mão de obra Mês/Ano %

CUB Global

% Custo Material % Custo Mão de obra
Jan./17 0,12 0,29 0,00 Jan./18 0,25 039 0,00
Fev. 4,10 -0,38 7,88 Fev. 0,14 0,35 0,00
Mar. 0,05 0,12 0,00 Mar. 0,25 0,38 0,00
Abr. 0,03 0,07 0,00 Abr. 1,45 0,09 2,53
Maio -0,03 -0,07 0,00 Maio 0,17 0,44 0,00
Jun. 0,15 0,14 0,00 Jun. 0,49 1,22 0,00
Jul. 0,01 0,02 0,00 Jul. 0,30 0,72 0,00
Ago. 0,03 0,07 0,00 Ago. 0,31 0,76 0,00
Set. 0,15 0,38 0,00 Set.
Out. 0,06 0,70 0,00 Out.
Nov. 0,25 0,05 0,00 Nov.
Dez. 0,08 0,19 0,00 Dez.

Fonte e elaboração: Assessoria Econômica/Sinduscon-MG.

Resultado do CUB/m² desonerado

O CUB/m² desonerado aumentou 0,32% em agosto/18, acumulando alta de 4,13% nos primeiros oito meses do ano e 4,73% nos últimos 12 meses (set/17-ago/18).