Custo de construção civil sobe 0,28% em abril

0
275
O item Vale Transporte subiu 0,69% no custo de construção civil em abril. Foto: Pixabay.com
O item Vale Transporte subiu 0,69% no custo de construção civil em abril. Foto: Pixabay.com
Os materiais para estrutura tiveram o maior peso no custo de construção civil no mês (0,51%)

O custo de construção civil, medido pelo Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M), da Fundação Getúlio Vargas (FGV),  registrou alta de 0,28% em abril, acima do resultado do mês anterior, que foi de 0,23%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços teve variação de 0,40%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,50%. O índice referente à Mão de Obra registrou variação de 0,18% na passagem de março para abril. 

No grupo Materiais, Equipamentos e Serviços, o índice correspondente a Materiais e Equipamentos registrou variação de 0,35%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,47%. Dos quatro subgrupos componentes, dois apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. Destaque para materiais para estrutura, cuja taxa passou de 0,38% para 0,51%. 

A parcela relativa a Serviços passou de uma taxa de 0,59%, em março, para 0,61%, em abril. Neste grupo, vale destacar a aceleração de vale transporte no custo de construção civil.  A variação passou de 0,20% para 0,69%. 

O índice referente à Mão de Obra registrou variação de 0,18% na passagem de março para abril. Esta variação ocorreu devido aos reajustes salariais de várias categorias em Belo Horizonte. 

Duas capitais apresentaram aceleração em suas taxas de variação: Belo Horizonte e Porto Alegre. Em contrapartida, Salvador, Brasília, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo registraram desaceleração.

Confiança da construção civil recua

O Índice de Confiança da Construção (ICST), da Fundação Getulio Vargas, recuou ligeiramente em abril ao variar -0,1 ponto, alcançando 82,0 pontos . Pela métrica trimestral, o índice variou negativamente (-0,2 ponto), depois de oito meses consecutivos de alta.

“O segundo trimestre inicia com recuo das expectativas, indicando que a incerteza do momento em que vive o país continua afetando o estado de ânimo dos empresários da construção. Apesar disso, a percepção em relação à situação corrente dos negócios avançou. O destaque positivo veio do aumento na intenção dos empresários em contratar.”, observou Ana Maria Castelo, Coordenadora de Projetos da Construção da FGV IBRE.