Custo da construção civil sobe 0,45% em janeiro

0
256
O custo mão de obra do Sinapi de janeiro ficou em R$ 416,87
O custo mão de obra do Sinapi de janeiro ficou em R$ 416,87

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo IBGE, iniciou o ano de 2014 com alta de 0,45%, ficando 0,43 ponto percentual abaixo da taxa de dezembro de 2013 (0,88%). Nos últimos 12, o índice subiu em 0,79%. Em janeiro de 2013 o índice foi de 0,18%. Os resultados acumulados levam em conta a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil prevista na lei 12.844, sancionada em 19 de julho de 2013.

Custo da mão de obra da construção civil subiu 0,26% em janeiro, segundo o IBGE
Custo da mão de obra da construção civil subiu 0,26% em janeiro, segundo o IBGE

O custo nacional da construção civil, por metro quadrado, que em dezembro fechou em R$ 860,10, em janeiro passou para R$ 864,01, sendo R$ 477,00 relativos aos materiais e R$ 387,01 à mão de obra.

A parcela da mão de obra subiu 0,26%, 1,02 ponto percentual abaixo da taxa de 1,28% referente ao mês de dezembro de 2013. Os materiais, por outro lado, registraram uma diferença de 0,06 ponto percentual, indo de 0,55% em dezembro de 2013 para 0,61% em janeiro de 2014.

Os acumulados em 12 meses foram: 4,81% (materiais) e -3,76% (mão de obra). Da mesma forma, estes resultados levam em conta a desoneração da folha de pagamento.
Região Norte registra maior variação
A região Norte, com valor de 0,71%, ficou com a maior variação regional em janeiro. As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 0,53% (Nordeste), 0,44% (Sudeste), 0,35% (Sul) e 0,17% (Centro-Oeste).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 877,27 (Norte), R$ 810,64 (Nordeste), R$ 899,11 (Sudeste), R$ 876,83 (Sul) e R$ 871,05 (Centro-Oeste).

Com relação ao acumulado nos últimos doze meses, a Região Sudeste apresentou a maior variação, 1,24%, enquanto a região Norte ficou com a mais baixa, -0,01%.

Amapá tem a maior alta
Decorrente de pressão exercida pelo reajuste salarial do acordo coletivo, o Amapá registrou a maior variação mensal: 3,44%.

Sinapi 2

Sinapi Janeiro 1