Cozinha: Master Chef em casa

0
410
O psiquiatra Daniel Schichman, apaixonada por gastronomia, solicitou um projeto muito especial para sua cozinha
O psiquiatra Daniel Schichman, apaixonada por gastronomia, solicitou um projeto muito especial para sua cozinha
Com a crescente demanda de clientes apaixonados pela gastronomia, o projeto de cozinha semiprofissional está em alta 

Você já pensou em ter uma cozinha semiprofessional? Atualmente, vem crescendo o número de pessoas cada vez mais interessadas em se dedicar à gastronomia como um hobby. Prova disso é a explosão de programas televisivos voltados para a gastronomia e, na mesma toada, a crescente demanda por cozinhas semiprofissionais em projetos residenciais.

O psiquiatra Daniel Schichman, por exemplo, adora cozinhar nas horas vagas e, por isso, procurou o escritório CoGa Arquitetura para projetar a sua cozinha residencial. Daniel revela que seu gosto pela culinária começou com o sogro, que já era um gourmet quando conheceu sua esposa. “Fui acompanhando-o na cozinha, depois fiz um curso. Já se vão quase vinte anos. Sempre cozinho para amigos e familiares. Faço parte de confrarias de culinária e vinho. Eu queria que a minha cozinha ficasse integrada à sala, para que estivéssemos todos juntos, afinal cozinhar é agregar”, conta.

As arquitetas Fabiana Couto e Flávia Gamallo contam que este desejo de uma cozinha integrada e semiprofissional, como a do Daniel, é uma tendência e a procura aumenta pela valorização de uma culinária bem-feita, a qual nos referimos como “gourmet”. “A revolução industrial possibilitou funcionalidades para a cozinha e hoje ela está inserida na composição da casa como um espaço de socialização e prazer dos moradores. O morador quer receber bem, cozinhar para os convidados”, ressaltam.

As profissionais explicam como planejaram a cozinha de acordo com os desejos de Daniel Schichman: “Originalmente, o estar estava separado da cozinha e a principal parede recebia um móvel em madeira que determinava um ambiente mais escuro. No projeto de reforma, o móvel foi substituído por uma marcenaria clara, em laca neutra, com linhas mais limpas, para valorizar, inclusive, as obras de arte dos moradores e trazer luminosidade ao espaço flexível. A transição dessa integração se deu através de um balcão, onde os painéis que correm faceiam. As bancadas da cozinha e as rodabancas altas são em inox e trazem mais facilidade de limpeza e higienização. Os armários são em vidro, reforçando a sensação de limpeza e praticidade”, detalham Fabiana e Flávia.

Além da amplitude do espaço, o cliente também queria colocar uma adega climatizada para 420 garrafas, que foi incorporada como um equipamento a um painel de nogueira que divide e conduz à área íntima do apartamento.

De acordo com Flávia e Fabiana, a cozinha precisa ter funcionalidade, ergonomia e bons equipamentos para agilidade na preparação. Além disso, é fundamental pensar na durabilidade e higiene dos materiais e revestimentos a serem utilizados no projeto. “A cozinha semiprofissional é uma área de constante exposição à umidade e gordura, e necessita de uma limpeza mais abrasiva. É necessário o uso de materiais menos porosos, mais resistentes e de fácil limpeza. Pisos em granitos polidos, porcelanatos, revestimentos cerâmicos com índice PEI não inferior a três. Paredes em porcelanatos, cerâmicas, vidros, inox dekton silestone. Atualmente, muitos compostos de quartz altamente resistentes são uma boa indicação para as bancadas, assim como o tradicional inox”, sugerem.

A empresária Joelma Lanna também tem paixão por cozinha. Algo que aprendeu com a avó, que fazia comidas simples, porém com muito amor. Ao solicitar o projeto para a designer de interiores Iara Santos, ela ressaltou que o principal ambiente da casa era justamente a cozinha. “Adoro receber pessoas. Fazer comida me dá muito prazer e uma sensação de aconchego. É o meu jeito de agradar. Eu pedi à Iara Santos que gostaria de uma cozinha na minha casa, pois não me importo muito com salas, mas a cozinha tinha que ser a estrela do apartamento. E foi assim, através da cozinha que integramos todos os outros ambientes”, revela.

A cozinha da empresária Joelma Lanna foi projetada pela designer de interiores Iara Santos para ser a estrela do apartamento
A cozinha da empresária Joelma Lanna foi projetada pela designer de interiores Iara Santos para ser a estrela do apartamento

A designer explica que a cozinha projetada para Joelma Lanna foi feita em ilha, para permitir que a empresária pudesse conversar com seus convidados em outros ambientes da casa, enquanto cozinhava. “Como a cozinha era um ambiente compartimentado, nós quebramos duas paredes e integramos a sala de almoço e a sala de TV. A cozinha tinha um forro de gesso que baixava o pé direito do ambiente e, como ela queria ter uma sensação maior de amplitude horizontal deste espaço, nós retiramos esse gesso, passando o pé direito de 2,40 para três metros. Para que o espaço fosse ao encontro da personalidade alegra da Joelma, usei cores como cinza, amadeirado e verde, o que também proporcionou mais acolhimento ao espaço”, explica Iara Santos.

A profissional conta que, ultimamente, além de um bom fogão, os clientes têm dado muita importância às geladeiras que vão colocar na cozinha. “Nesse projeto, por exemplo, a geladeira tem duas portas e um gaveteiro embaixo o que garante funcionalidade ao espaço. Para clientes que adoram cozinhar, como a Joelma, a diversidade de alimentos é muito grande e, por isso, a geladeira com vários compartimentos é essencial”, indica.

Iara Santos reforça a importância da cozinha ter revestimentos resistentes à água e a produtos químicos que não mancham com facilidade. “Todos os revestimentos e materiais têm que ser práticos e eficientes. Neste projeto eu usei na bancada o ecoart cinza, uma pedra sintética super-resistente. Na bancada e no piso, eu optei pelo granito preto absoluto que aparenta menos a sujeira e também é muito resistente”, diz.