Construir na Região Sudeste ficou mais caro em abril

1
403
Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas aponta maior confiança das empresas de construção civil

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo IBGE, apresentou variação de 0,64% em abril, ficando 0,33 ponto percentual acima da taxa de março (0,31%). Em relação a abril de 2011 (0,48%), a diferença foi de 0,16 ponto percentual. Considerando os quatro primeiros meses do ano, o índice ficou em 1,87%, superior a igual período do ano anterior (1,67%). A Região Sudeste é a mais cara para se construir.

Nos últimos 12 meses, o índice ficou 5,86%, abaixo dos 7,% registrados em abril de 2011 e acima dos 5,70% registrados em março de 2012.

Sudeste registra maior variação
A Região Sudeste, com alta de 0,92%, ficou com a maior taxa regional em abril. Os demais resultados foram: 0,79% (Nordeste); 0,27% (Sul); 0,09% (Norte) e 0,06% (Centro-Oeste).
Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 863,23 (Sudeste); R$ 834,27 (Norte); R$ 819,23 (Centro-Oeste); R$ 814,76 (Sul) e R$ 781,43 (Nordeste).

Rio de Janeiro tem maior alta
Devido à pressão exercida pelo reajuste salarial decorrente de acordo coletivo, o Rio de Janeiro registrou a maior taxa mensal, 4,33%.

O custo nacional da construção por metro quadrado, que em março havia sido R$ 819,53, em abril passou para R$ 824,81, sendo R$ 446,25 relativos aos materiais e R$ 378,56 à mão de obra.
A parcela dos materiais apresentou variação de -0,04%, caindo 0,10 ponto percentual em relação ao mês anterior (0,06%), enquanto a mão de obra, com variação de 1,46%, aumentou 0,83 ponto percentual em relação a março (0,63%). Os acumulados em 12 meses foram: 11,54% (mão de obra) e 1,47% (materiais).