Confiança na construção mineira sobe em março

0
534
A confiança na construção em Minas Gerais chegou a 33,3 pontos, segundo o Sinduscon-MG
A confiança na construção em Minas Gerais chegou a 33,3 pontos, segundo o Sinduscon-MG
Essa é a segunda alta consecutiva na confiança na construção em Minas 

O Índice de confiança na construção do Empresário da Indústria da Construção de Minas Gerais (Iceicon-MG) registrou a segunda alta consecutiva em março, chegando a 33,3 pontos. Este foi o resultado mais satisfatório observado desde janeiro do ano passado. A melhora das expectativas dos construtores mineiros contribuiu para este desempenho. Porém, os números do indicador estão distantes da linha divisória dos 50 pontos, que sinalizam confiança.

A relativa melhora observada em março em relação ao mês anterior foi influenciada pelo indicador de expectativas, que apresentou acréscimo de 5,1 pontos no mês. O índice de condições atuais de negócios recuou 1,6 ponto, no mesmo período. “Vale ressaltar que foi registrado uma melhora das expectativas dos empresários a despeito das incertezas no ambiente político e econômico do País”, analisa o coordenador sindical do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), Daniel Furletti.

Sondagem da Indústria da Construção de Minas Gerais

Como reflexo da queda generalizada a atividade econômica em praticamente todos os setores produtivos no Brasil, as construtoras mineiras também apresentaram recuo no nível de atividade, que fechou fevereiro em 30,3 pontos. O baixo nível das atividades refletiu no nível de emprego, cujo índice registrou 28,8 pontos em fevereiro.

Segundo os empresários do setor, as condições de negócio do Brasil (17,6 pontos) e de Minas Gerais (17,0 pontos), bem como da empresa (22,3 pontos) foram desanimadoras nos últimos seis meses.Os construtores continuam pouco esperançosos diante dos próximos meses do ano – 39,6 pontos. Entretanto, o indicador apresentou crescimento de 5,1 pontos em relação ao de fevereiro (34,5 pontos).

As perspectivas com relação ao Brasil (30,1 pontos), ao estado (27,7 pontos) e à empresa (45,0 pontos) permanecem pessimistas. A falta de expectativas em relação à melhora no cenário econômico do Brasil faz com que o indicador não apresente sinais de reversão.