Confiança da construção melhora em Minas

0
189
O indicador de confiança da construção está caminhando para uma recuperação
O indicador de confiança da construção está caminhando para uma recuperação
Em agosto, o nível de confiança da construção no estado  é o melhor dos últimos dois anos

Nos últimos quatro meses, a confiança da construção, medida pelo Índice de Confiança do Empresário da Indústria da Construção de Minas Gerais (Iceicon-MG), apresentou alta significativa e alcançou 44,9 pontos em agosto, melhor patamar desde o mesmo mês de 2014. Apesar do indicador ainda estar abaixo da linha divisória dos 50 pontos e, portanto, continuar sinalizando falta de confiança, o incremento do índice é relevante.

Em abril deste ano, o Iceicon-MG havia registrado apenas 29,2 pontos.

O avanço do indicador foi provocado pela melhora na percepção dos empresários em relação aos seus dois componentes. O indicador de condições atuais de negócios passou de 28,5 pontos, em julho, para 34,4 pontos, em agosto, e o das expectativas para os próximos seis meses, que estava em 44,7 pontos no mês anterior, fechou agosto em 50,1 pontos, rompendo a barreira dos 50 pontos, o que não ocorria desde abril de 2014.

Temos observado que o indicador de confiança da construção está caminhando para uma recuperação. Isso pode ser consequência de uma maior definição do cenário político do País e de sinalizações do que se espera para a política econômica. Os empresários já estão projetando um segundo semestre melhor para as suas empresas”, afirma o economista e coordenador sindical do Sinduscon-MG, Daniel Furletti.

Sondagem 

Em julho, o indicador de nível de atividade da construção mineira ficou em 38,1 pontos. Não se registrava esse resultado desde outubro de 2014. No desagregado por porte de empresa, a queda nas atividades foi mais acentuada nas grandes empresas, cujo indicador registrou 34,2 pontos. O índice de pequenas empresas fechou julho com 41,7 pontos enquanto o das médias empresas alcançou os 44,4 pontos.

O índice de atividade em relação ao usual para o mês de julho do setor registrou 21 pontos, permanecendo abaixo da linha dos 50 pontos desde outubro de 2012. O indicador de emprego também ficou abaixo da linha de corte, fechando julho em 37,9 pontos.

O nível de emprego está em linha com a redução da atividade que vem sendo observada no setor. O índice, no entanto, vem sinalizando recuos menos intensos nos últimos três meses. Vale ressaltar que o indicador de emprego de julho atingiu o nível mais elevado desde outubro de 2014”, observa Daniel Furletti.

O Índice de Confiança do Empresário da Indústria da Construção de Minas Gerais e a Sondagem Indústria da Construção de Minas Gerais são elaborados pela Assessoria Econômica da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) em conjunto com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e contam com a parceria do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG). Participaram da pesquisa 56 empresas no período de 1º a 11 de agosto.