Compartilhar é uma atitude que está na moda

0
498
Que a moda pegue! Vamos compartilhar o que valer a pena! Todos iremos lucrar. Foto: Carlos Olímpia/Divulgação
Que a moda pegue! Vamos compartilhar o que valer a pena! Todos iremos lucrar. Foto: Carlos Olímpia/Divulgação
Compartilhar serviços em condomínios virou uma tendência onde todos ganham
Cássia Ximenes *

Compartilhar é um verbo bitransitivo que significa tomar partido em; fazer parte de algo com alguém, repartir com, usar em rede. Isso passou a ser imperativo no dia a dia das pessoas e de forma abrangente no mercado imobiliário.

Vamos começar pela tendência da formação de condomínios de imóveis, verticais ou horizontais, onde se percebe valor no compartilhamento da segurança e de diversos serviços que vão da manutenção e limpeza a compras coletivas, espaços de lazer e o que mais os grupos de moradores demandarem. Todos saem ganhando: quem presta o serviço e quem recebe. Hoje, mesmo aqueles que moram fora de condomínios, participam de associações de bairro visando buscar soluções conjuntas para os problemas comuns, com mais eficácia e preços melhores. Alguns condomínios, que trabalham com as mesmas administradoras, desenvolvem aplicativos que permitem potencializar a utilização de seus espaços e serviços, somando esforços e dividindo despesas. O resultado é bom para todos.

A informação, o conhecimento e a presença são a base das redes de vizinhos que se multiplicam pelo país. Além de garantir maior segurança a todos, ainda proporciona o entrosamento entre as pessoas que foi se perdendo com a correria das cidades grandes.

Associações ganham força

As associações organizadas em forma de câmaras, redes, clubes ou sindicatos ganham força com a participação ativa de seus membros. Eles doam seu tempo, energia, conhecimento e experiência em prol do coletivo. O efeito boomerang se incumbe da remuneração que vem em forma de um mercado mais maduro, mais inteligente, onde todos são beneficiados.

Portais imobiliários oferecem mais opções

Muitas imobiliárias optam em se unir em portais únicos ou em forma de redes buscando aumentar sua performance. Oferecem mais opções de negócios a seus clientes com maior celeridade e ampla assessoria. Ganha o empresário do setor, ganha o cliente que recebe um serviço pensado, analisado e testado por várias cabeças!

Um ditado português diz que “Duas cabeças pensam melhor que uma”. A história comprova que várias cabeças pensam muito melhor. Uma ideia ou insight pode nascer de um momento solitário e ganhar corpo, se desenvolver, a partir da contribuição de outras formas de ver e pensar. A soma de experiências aumenta as chances de viabilizar a solução de problemas comuns a várias pessoas.

O mundo está na correnteza do cooperativismo, do compartilhamento de ideias e ideais. Uma moda de atitudes que, segundo Lucas McNally, do Trinity College de Dublin, o trabalho em equipe e a potência cerebral estimulam uns aos outros. “A mudança para sociedades mais cooperativas, mais complexas, pode levar à evolução de um cérebro maior. E com o aparecimento de níveis de inteligência mais elevados, constatamos que a cooperação vai muito além”.

Que a moda pegue! Vamos compartilhar o que valer a pena! Todos iremos lucrar.

* Jornalista, especialista em negócios imobiliários, empresária e presidente da CMI/Secovi-MG (Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais).