Bom momento para compra de usados

0
418

Com os preços dos imóveis novos beirando o surreal, o mercado de usados volta a ser uma boa opção para quem quer comprar. Vale, portanto, ficar de olho em algumas dicas para fazer um bom negócio -” desde avaliar a localização, a forma de pagamento ou se o imóvel usado pode ser de fato interessante.

O primeiro item a ser pesquisado, lembra o corretor Fernando Ávila Jr., é a fachada. -“Se é verdade mesmo que a primeira impressão é a que fica, isso serve também para a fachada; o comprador fará sua primeira avaliação do imóvel pela fachada, vai reparar se tem pichações, rachaduras, estado de conservação, segurança, uma porção de coisas”.

Segundo Fernando, a dica serve para estimular os moradores a participarem sempre das reuniões de condomínio, fiscalizando a conservação do imóvel: -“com fachada feia ou mal cuidada a desvalorização é certa”.

Saber onde quer morar, a localização, é outro passo importante. Giselda Matos, professora, esteve a ponto de comprar um imóvel usado no Caiçara, região Noroeste de Belo Horizonte, mas desistiu quando presenciou um acidente na rua Frei Orlando e ouviu uma vizinha comentando que era “o terceiro do mês”. -“Adorei o bairro, mas voltei e verifiquei que a rua é cheia de problemas”, disse.

O lugar atende à s necessidades de toda a família? Escola, bancos, trabalho, supermercado, farmácia, tudo isso deve estar perto, ou os gatos com o transporte serão altos, lembra o corretor. Junto com uma amiga, ex-corretora, Giselda Matos diz que aprendeu a -“escolher” imóveis. Sua receita é simples, visitar o local em dias e horários diferentes. -“Numa manha ensolarada, o prédio pode parecer lindo, mas numa segunda-feira, depois das dez da noite, tudo muda de figura. Giselda aconselha também tentar se informar junto à  guarnição mais próxima da Polícia Militar sobre as condições de segurança do bairro. -“Mas a melhor fonte é a vizinhança”, sugere Fernando Ávila. -“Antes de optar pela compra, converse com pelo menos uns cinco e se informe ao máximo”, ensina.

O momento é bom para a compra de imóveis, pois surgem, diariamente, novos lançamentos imobiliários em que as condições de pagamento e os juros são favoráveis aos financiamentos, levando muita gente a querer um apartamento novo. -“E para isso, quer disponibilizar o usado”, lembra Ávila. -“No entanto”, avisa, -“é bom verificar a situação do imóvel para não gastar muito com reformas e consertos”.

Para Ávila, gastos com reformas são comuns em prédios muito antigos, -“então, levar um profissional do ramo é fundamental para fazer uma boa compra”. Um dos itens lembrados por ele é a -“saúde financeira” do condomínio. -“O condomínio de um bairro da região Nordeste devia quase R$ 20 mil reais a empresas de manutenção, por problemas administrativos -” se a pessoa compra um apartamento num prédio desses, ela compra a dívida junto; então, se vai comprar, está no direito dela se informar a respeito”. Bombeiro, pedreiro e até eletricista de confiança podem -” e devem -” visitar o imóvel junto com o comprador, a fim de identificar possíveis problemas.

E para quem quer vender, a dica de Ávila é simples: -“Ficar atento aos problemas e consertar tudo de forma eficiente, para que o imóvel não se valorize: louças, pisos, torneiras, pintura das paredes, tudo isso pode influenciar positivamente o comprador”.