Bairro Califórnia: o antes e depois da Arena MRV

0
1356
O estádio do Clube Atlético Mineiro vai mudar a história do bairro Califórnia positivamente. Foto: Carlos Olímpia/Divulgação
O estádio do Clube Atlético Mineiro vai mudar a história do bairro Califórnia positivamente. Foto: Carlos Olímpia/Divulgação
O Bairro Califórnia terá  reflexos positivos pela construção do estádio do Atlético Mineiro 

Cássia Ximenes *

O Bairro Califórnia, na região Noroeste de Belo Horizonte quase na divisa com Contagem, já divide sua história em antes e depois do anúncio da construção do estádio do Clube Atlético Mineiro. Chamado de Arena MRV, o estádio será o 10º maior do Brasil em capacidade. Será construído numa área de 114.653,40 m², de alta densidade demográfica, com acesso por três grandes vias: Via Expressa, Anel Rodoviário e BR-040, e a menos de 1 km da estação de metrô Eldorado.

O impacto no mercado imobiliário local, de acordo com o instituto de pesquisas da CMI/Secovi-MG, o DataSecovi, começou a ser contabilizado a partir dos primeiros burburinhos sobre o projeto. No ano de 2015, quando a notícia se espalhou, ocorreu um superaquecimento, apontando um crescimento de 60% nas transações de compra e venda no bairro, em relação ao ano anterior, quando ter um estádio próprio parecia ser apenas um delírio da torcida alvinegra. Neste mesmo ano de 2015, foi verificado uma valorização de 0,49% nos preços dos imóveis na região em relação a 2014.

Em 2016, os preços dos imóveis subiram 5,88%. E de encontro com a crise no país, o número de imóveis vendidos caiu 10%. Quanto mais se conhecia do belo projeto em forma de caldeirão -com capacidade para 47 mil pessoas, estacionamento para 2,6 mil veículos, instalação de 46 bares, 36 camarotes e espaço Vip para 3,6 mil torcedores- mais subiam os preços dos apartamentos, casas e lotes nas adjacências. Em 2017, a alta foi de 6,84%, com o preço médio de R$192.315,00. Os investidores se retraíram e o número de unidades comercializadas caiu 54,68%, quase a mesma proporção de quando foi anunciada a construção…

Grande expectativa 

No primeiro trimestre de 2018, vimos um assentamento de preços que se ajustaram à grande expectativa da construção do estádio do Galo com a realidade econômica do pais, baixando o preço médio do bairro em 15,69%.

A grandiosidade da obra trará, sem dúvida, um substancial incremento na economia regional. Nasce agora uma demanda pela instalação de rede hoteleira, uma vez que o estádio poderá também ser um centro de convenções e um local atrativo para o turismo na capital. 

Respeito aos aspectos ambientais

O empreendimento promete, ainda, respeitar os aspectos ambientais em relação a mata nativa e cursos d’água com previsão de áreas verdes, buscando garantir equilíbrio e qualidade ambiental à área na qual será inserido. 

Ao que tudo aponta, a transformação de um terreno vazio em um marco na cidade vai trazer mais que movimento no mercado imobiliário e na economia local, vai gerar múltiplos empregos na construção e no novo cenário que se desenhará depois da inauguração prevista para 2020. O estádio do Clube Atlético Mineiro vai mudar a história do bairro Califórnia positivamente, trazendo mais que orgulho para a torcida e conforto para os jogadores e amantes do futebol, vai impulsionar a economia e transformar a paisagem da região. 

* Jornalista, especialista em negócios imobiliários, empresária e presidente da CMI/Secovi-MG (Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais)