Aluguel pelo IGP-M tem variação negativa em 2017

0
464
A recessão econômica e a baixa procura por imóveis impulsionaram a queda dos preços do aluguel pelo IGP-M
A recessão econômica e a baixa procura por imóveis impulsionaram a queda dos preços do aluguel pelo IGP-M
Segundo levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o aluguel pelo IGP-M é o menor desde 2009

O aluguel pelo IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) teve deflação de 0,52% em 2017, segundo levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV). É o menor índice do IGP-M desde 2009 (-1,72%). Em dezembro, o índice  variou 0,89%, em dezembro. Em novembro, o índice subiu 0,52%. Em dezembro de 2016, a variação foi de 0,54%. Em 2016, para igual período, o IGP-M registrou alta de 7,17%. O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

De acordo com o economista e coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) do FGV IBRE, André Braz, a queda do preço do aluguel pelo IGP-M está relacionada com a recessão econômica e a queda da demanda por imóveis.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,14%, em dezembro. No mês anterior, este índice variou 0,28%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,22%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,61%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou variação de 0,07%. No mês anterior, este índice não variou.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) aumentou 1,24%, em dezembro. No mês anterior, a taxa foi de 0,66%. O índice relativo aos Bens Finais variou 0,48%, em dezembro.

Laticínios sobem 0,42%

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,30%, em dezembro, ante 0,28%, em novembro. A principal contribuição em sentido ascendente partiu do grupo Alimentação (-0,19% para 0,13%). Nesta classe de despesa, vale citar o comportamento do item laticínios, cuja taxa passou de -1,46% para 0,42%.

Também apresentaram acréscimos em suas taxas de variação os grupos: Educação, Leitura e Recreação (-0,10% para 0,87%), Vestuário (-0,32% para 0,61%), Transportes (0,62% para 0,78%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,40% para 0,44%) e Despesas Diversas (-0,03% para 0,18%).