Aluguel em São Paulo sobe menos que o IGP-M

0
370
Em 12 meses, o aluguel em São Paulo variou 3,52%, segundo o Secovi-SP
Em 12 meses, o aluguel em São Paulo variou 3,52%, segundo o Secovi-SP

Em 12 meses, o aluguel em São Paulo subiu 3,52%, quase empatado com o IGP-M de 3,54%

Os contratos novos de aluguel em São Paulo, do tipo residencial, ficaram praticamente estabilizados em setembro de 2014. Em relação a agosto, os valores vigentes sofreram variação média de apenas -0,1%. Considerando o período dos últimos 12 meses, o aumento acumulado atingiu 3,52%, percentual muito próximo ao do IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), que está em 3,54%. “O aumento dos valores de locação vêm apresentando redução desde o início do ano, reflexo das dificuldades que a economia brasileira atravessa” afirma Mark Turnbull, diretor de Locação do Secovi-SP.

Os imóveis de 1 quarto foram os que tiveram elevações nas locações em setembro, de 0,5%, enquanto que os aluguéis das unidades de 2 e 3 quartos tiveram quedas de -0,2% e -0,9%, respectivamente.

O tipo de garantia mais utilizado foi o fiador, que respondeu por quase metade das locações efetuadas (47,5%). Outra modalidade muito comum foi o depósito de até três meses de aluguel, que viabilizou cerca de um terço dos imóveis locados (32,5%). O seguro-fiança foi usado em aproximadamente um quinto (20%) dos contratos de locação realizados.

As residências que foram escoadas mais facilmente foram as casas vagas, alugadas em um período médio entre 15 e 35 dias. Os apartamentos saíram mais vagarosamente. O IVL (Índice de Velocidade de Locação), que indica quantos dias leva até assinar o contrato de aluguel, variou de 21 a 43 dias.

Jardins – Mensalmente a Pesquisa de Locação do Secovi-SP está realizando uma análise de dados históricos dos valores de locação residencial negociados por bairros, e neste mês o bairro escolhido é o Jardins.

O bairro é uma região de classe alta, e é considerado um dos mais tradicionais da cidade, com ótima infraestrutura, transporte, educação e comércio.

Lá estão localizadas importantes vias como a Avenida Paulista, Brigadeiro Luís Antônio, Rua Augusta, Rua Oscar Freire entre outras.

Todos esses fatores contribuem na valorização dos aluguéis da região, sendo o bairro mais caro no levantamento. Por exemplo, um imóvel de 3 quartos em bom estado de conservação possui aluguel por metro quadrado  de aproximadamente R$ 32,00, quando a média  dos bairros é de R$ 20,00.

A série histórica dos imóveis de 1 quarto nos Jardins demonstra que houve uma variação porcentual de 85% no período acumulado de outubro de 2008 a setembro de 2014, um crescimento acima da média do município, que foi de 80% e acima também do IGP-M, que no período foi de 35%.

O aluguel de imóveis residenciais de 2 dormitórios dos Jardins apresentou variação porcentual acumulada no período de outubro de 2008 a setembro de 2014 de 88%, com um crescimento acima de outras tipologias pesquisadas no mesmo bairro.

O crescimento do valor do aluguel de imóveis residenciais de 3 quartos no período analisado foi de 83%, próximo ao da média do município de São Paulo (80%), ficando com o menor crescimento dentre as tipologias analisadas no bairro.

Em geral, a valorização dos aluguéis dos Jardins ficou acima da média da cidade, e muito acima da variação do IGP-M, demonstrando que os atrativos da região junto com as dificuldades de se encontrar imóveis para alugar, contribuíram para o aumento nos preços no período.

Fonte: Secovi-SP.