Aluguel em São Paulo sobe 6,66% em 12 meses

0
398
Em julho, o aluguel em São Paulo teve redução de 0,22% em relação a junho
Em julho, o aluguel em São Paulo teve redução de 0,22% em relação a junho

Esta é a menor variação do aluguel em São Paulo desde 2007, segundo pesquisa do Secovi-SP 


Os valores dos contratos de aluguel em São Paulo  em julho registraram redução média de 0,22%, em relação aos valores de junho, segundo pesquisa mensal realizada pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP). Nos últimos 12 meses, houve uma alta de 6,66%, percentual próximo ao da variação do IGP-M do mesmo período, de 5,3%. “Apesar de a variação ser levemente superior ao IGP-M, trata-se do menor crescimento acumulado dos aluguéis em 80 meses, desde novembro de 2007”, diz Mark Turnbull, diretor de Locação do Secovi-SP.

A queda nos valores do aluguel em São Paulo foi mais representativa nos apartamentos de 3 quartos, que tiveram retração média de 0,5% em julho, comparativamente aos valores do mês anterior. Os imóveis de 1 e 2 quartos apresentaram quedas quase imperceptíveis, de 0,2% e 0,1%, respectivamente.

As casas e sobrados foram alugados num período médio de 15 a 35 dias. Os apartamentos escoaram num ritmo maior. O IVL (Índice de Velocidade de Locação), que mede em número de dias quanto tempo se leva para assinar o contrato de aluguel, mostra que esses imóveis foram ocupados num intervalo entre 21 e 44 dias.

Enquanto a área Norte perdeu parte do parque industrial, a Sul verticalizou-se com escritórios, serviços e comércio voltados para as classes média-alta e alta. Entre os fatores que contribuíram para o crescimento da região está a proximidade do Centro, principalmente após a implantação do sistema de trens metropolitano.

Tatuapé 

A dinâmica imobiliária do bairro do Tatuapé permitiu a “invasão” de bairros próximos com a imagem e produtos “Tatuapé”, como ocorreu com o Morumbi. Outra característica é a predominância de imóveis de 3 quartos, com escassez de moradias de 1 quarto. Isso afetou a evolução dos preços dos aluguéis por segmentação.

De acordo com a pesquisa, imóveis bem conservados e com vaga de garagem contratados em julho tiveram valor médio por metro quadrado útil de R$ 28,10 para moradias de 1 dormitório, de cerca de R$ 20,60 o m² para as de 2 quartos e de R$ 16,41 para as de 3.

Por ser um bairro caracterizado pela predominância de moradias de 3 quartos, este segmento teve a menor variação (39,4%) no período de seis anos a partir de julho de 2014. Já os imóveis de 1 dormitório se destacaram pelo maior crescimento médio de valores, com variação de 123,4%, seguidos pelos imóveis de 2 quartos, com 60,3%, no período de agosto de 2008 a julho de 2014.

Vale lembrar que a variação média dos valores de aluguel em São Paulo contratados nos últimos seis anos encerrados em julho foi de 87,2%, enquanto o IGP-M totalizou 34,6% no mesmo período.

Fonte: Secovi-SP.