Aluguel em São Paulo sobe 0,6% em março

0
506
Em julho, o aluguel em São Paulo teve redução de 0,22% em relação a junho
Em julho, o aluguel em São Paulo teve redução de 0,22% em relação a junho

No acumulado de 12 meses, alta de aluguel em São Paulo atinge 9%, conforme pesquisa mensal do Secovi-SP

Os contratos de aluguel em São Paulo fechados no mês de março registraram valores em média 0,6% mais altos do que os aluguéis assinados em fevereiro, de acordo com pesquisa mensal realizada pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP). No acumulado dos últimos 12 meses, o aumento atinge 9%, percentual superior à variação do período do IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), de 7,3%.

“Salvo alguma grande surpresa na economia, os valores de locação devem se manter ligeiramente superiores à variação acumulada do IGP-M nos próximos meses”, prevê Walter Cardoso, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP.

No acumulado de 12 meses, alta atinge 9%, conforme pesquisa mensal do Secovi-SP
No acumulado de 12 meses, alta de alugel em São Paulo atinge 9%, conforme pesquisa mensal do Secovi-SP

Em março, os imóveis de 1 quarto apresentaram os maiores acréscimos médios de preço: 0,9%. O valor de locação dos imóveis de 2 quartos subiu 0,5%, ao passo que as unidades de 3 dormitórios tiveram redução de preço de 0,3%. A modalidade de garantia de aluguel mais comum em março foi o fiador, usado em 47,5% das locações. O depósito de três meses foi utilizado em um terço dos contratos locatícios. O seguro-fiança foi usado em um quinto dos imóveis locados.

No mês de março, as casas foram alugadas mais rapidamente do que os apartamentos. Elas foram locadas em um período de 15 a 36 dias. Já os apartamentos demoraram um pouco mais. O IVL (Índice de Velocidade de Locação), que mede em número de dias quanto tempo decorre até a assinatura do contrato de aluguel, oscilou prazo entre 20 e 41 dias.

Fonte: Secovi-SP.