Aluguel em BH sobe mais que a inflação e tem menos oferta

0
464
O aluguel residencial deve ter prazo de 30 meses
O aluguel residencial deve ter prazo de 30 meses

O valor do aluguel residencial em Belo Horizonte acumulou alta de 4,15% nos sete primeiros meses de 2012. No mesmo período, a inflação (IPCA-Ipead) foi de 3,81%. Em julho, quando a inflação foi de 0,17%, o aluguel valorizou 0,35% e, no acumulado dos últimos 12 meses, chega a 8,61% (inflação de 5,85% no período). Os dados são da pesquisa realizada pela CMI/Secovi-MG (Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais) e pelo Ipead (Instituto de Pesquisas Econômicas e Administrativas) da UFMG, divulgada nesta terça-feira (21/08).

A variação geral residencial obtida em julho de 2012, segmentada por tipos imobiliários, indica elevações para barracões (0,93%), casas (0,22%) e apartamentos (0,35%). Segundo as classes de bairros, os aluguéis de apartamentos, principal tipo imobiliário, apresentaram as seguintes variações: Popular (0,88%), Médio (1,01%), Alto (1,02%) e Luxo (-0,39%).

Com relação à oferta de imóveis residenciais para locação, o levantamento revela que houve queda de 2,83% em julho e o acumulado dos sete primeiros meses de 2012 é de -7,47%. No somatório dos últimos 12 meses, o índice é positivo: 6,58%. Em julho, o indicador de oferta por tipos de imóveis apontou aumento para barracões (16,33%). A oferta de casas teve queda de 0,48% e a de apartamentos queda de 3,93%.

O valor do aluguel comercial registrou elevação de 0,92% no mês de julho e acumula alta de 12,12% nos últimos 12 meses. No mês passado, os preços de aluguéis comerciais apresentaram as seguintes variações: andares corridos (0,60%), casas comerciais (0,63%), galpões (1,19%), lojas (1,03%) e salas (1,04%). A oferta de imóveis comerciais para locação apresentou alta de 0,15% em julho. No acumulado dos últimos 12 meses, o índice também é positivo: 4,95%. Desagregando a oferta comercial em julho por tipos, tem-se: andares corridos -12,50%; casas comerciais: -8,25%; galpões 11,11%; lojas: 10,02% e salas: -2,77%.