Ações de aluguel em SP subiram 16% em dezembro

0
371
o acumulado do ano de 2015, foram contabilizadas 17.623 ações de aluguel em São Paulo
No acumulado do ano de 2015, foram contabilizadas 17.623 ações de aluguel em São Paulo
No acumulado do ano, foram contabilizadas na cidade de São Paulo 17.623 ações de aluguel , volume 6,6% inferior ao de 2014 
No mês de dezembro, foram protocoladas na cidade de São Paulo 1.026 ações de aluguel, volume 15,8% superior aos processos de novembro (886 casos), segundo informações do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP) consolidadas pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP). “Esse aumento não chega a surpreender, uma vez que novembro registrou o melhor número de ações do ano”, diz Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-SP. Em relação ao mesmo mês de 2014 (1.077 ações), houve uma queda de 4,7%.

Na análise por tipo de ação, os processos por falta de pagamento de aluguel responderam por 85,6% do total, com 878 ações. As ações ordinárias/despejo ficaram na segunda posição, com 79 ações e uma participação de 7,7%. As renovatórias e as consignatórias participaram, respectivamente, com 6,3% (65 ações) e 0,4% (4 processos).

No acumulado do ano de 2015, foram contabilizadas 17.623 ações, o que representa uma redução de 6,6% em relação a 2014, quando tinham sido registradas 18.861 ocorrências. “O volume de processos de 2015 foi o menor em dez anos”, afirma Bushatsky.

 Entenda o significado de cada ação:

Consignatória – movida quando há discordância de valores de aluguéis ou encargos, com opção do inquilino pelo depósito em juízo.

Falta de pagamento: motivada por inadimplência do inquilino.

Ordinária (Despejo): relativa à retomada de imóvel para uso próprio, de seu ascendente ou descendente, reforma ou denúncia vazia.

Renovatória: para renovação compulsória de contratos comerciais com prazo de cinco anos.