Ações de aluguel em São Paulo caem 16,3%

0
375
Em fevereiro, tiveram 1.413 processos por ações de aluguel em São Paulo
Em fevereiro, tiveram 1.413 processos por ações de aluguel em São Paulo

Em fevereiro, foram protocolados 1.413 processos por ações de aluguel em São Paulo, ante os 1.689 de idêntico mês de 2014

Em fevereiro, foram protocoladas 1.413 ações de aluguel em São Paulo, de acordo com dados obtidos pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP) no Tribunal de Justiça do Estado. Esse resultado representa um aumento de 2,2% em relação às 1.382 ocorrências de janeiro e uma redução de 16,3% sobre as 1.689 ações de fevereiro de 2014.

Em fevereiro, tiveram 1.413 processos por ações de aluguel em São Paulo
Em fevereiro, tiveram 1.413 processos por ações de aluguel em São Paulo

Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-SP, esclarece que é até normal haver algum crescimento de janeiro para fevereiro. “Há o recesso forense, que acaba por represar um pouco as ocorrências. Neste ano, por exemplo, ele se estendeu de 20/12 a 6/1”, diz ele.   

As ações por falta de pagamento de aluguel, com 1.167 casos, foram responsáveis por 82,6% do total. As ordinárias ocuparam a segunda posição, com 132 ações e fatia de 9,3%. As ações renovatórias e as consignatórias participaram, respectivamente, com 7,5% (106 ações) e 0,6% (8 processos).

O total de ações acumuladas no período de março de 2014 a fevereiro de 2015 foi de 18.368 casos, o que representou uma queda de 3,3% diante do acumulado (18.995 ações) de março de 2013 a fevereiro de 2014.

Significado de cada ação: 

Consignatória – movida quando há discordância de valores de aluguéis ou encargos, com opção do inquilino pelo depósito em juízo.
Falta de pagamento – motivada por inadimplência do inquilino.
Ordinária/Despejo – relativa à retomada de imóvel para uso próprio, de seu ascendente ou descendente, reforma ou denúncia vazia.

Fonte: Secovi-SP