Ações de aluguel caem 12% em maio em São Paulo

0
273
Em julho, o aluguel em São Paulo teve redução de 0,22% em relação a junho
Em julho, o aluguel em São Paulo teve redução de 0,22% em relação a junho

Inadimplência respondeu por 83% dos processos na capital paulista

Pesquisa do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) mostra que 1.790 ações de aluguel foram ajuizadas na capital paulista em maio. O volume 12,3% inferior aos 2.040 processos de maio de 2012 e 14,8% menor que os 2.100 de abril último.

Conforme dados do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, do total de ações abertas em maio, 83,6% (1.497 processos) foram por falta de pagamento do aluguel. “Historicamente, a inadimplência responde pela maior parte das ações locatícias, e neste mês de maio não foi diferente”, comenta Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-SP, acrescentando: “Os locadores precisam ser cautelosos, cuidando das garantias que lhes assegurarão o recebimento do aluguel”.

Em maio, as ações ordinárias (208 ocorrências) responderam por 11,6% dos processos, enquanto as renovatórias (74 ações) e as consignatórias (11) participaram, respectivamente, com 4,1% e 0,6% do total.

Nos cinco primeiros meses do ano, o Fórum apurou um total de 8.347 ações, com queda de 7,2% em relação ao mesmo período de 2012, quando tinham sido abertas 8.998 ações.

Significado de cada ação:
Consignatória – movida quando há discordância de valores de aluguéis ou encargos, com opção do inquilino pelo depósito em juízo.

Falta de pagamento – motivada por inadimplência do inquilino.

Ordinária – relativa à retomada de imóvel para uso próprio, de seu ascendente ou descendente, reforma ou denúncia vazia.

Renovatória – para renovação compulsória de contratos comerciais com prazo de cinco anos.

Fonte: Secovi-SP.